11 julho, 2018

Compota de pimento vermelho, um regalo!

Num jantar de amigos e familiares servi esta compota com queijo de cabra.
Todos gostaram mas ninguém acertou no ingrediente principal: pimento vermelho.
Foi uma risota quando o “apresentei”.
Faça como eu, use e abuse desta compota. Com queijo, carne assada ou barrada numa simples tosta, o seu sabor é inigualável.
Acredite!

Ingredientes:
. 1 kg pimentos vermelhos (limpos de núcleo, partes brancas e sementes)
. 500 g açúcar
. 2 colh. (sopa) água
. raspa de limão
. pau de canela

Preparação:
Retire o núcleo de cada um dos pimentos, as sementes e as partes brancas. Descarte.
Corte em quartos e deite num tacho com os restantes ingredientes. Cozinhe em lume brando.
Retire o pau de canela e triture o preparado (não triture demasiado, deixe que se trinquem bocadinhos de pimento). Volte a deitar no tacho e leve ao lume.
Agora, tem de estar atenta para a compota não pegar ao fundo do tacho.
Logo que forme estrada no fundo tacho retire do lume e deite em frascos esterilizados.
(Esta compota reduz imenso pelo que aconselho que dobre os ingredientes se pretender preparar uma quantidade considerável. Com os ingredientes acima enchi apenas 1 frasco pequeno.)
Experimente!

Dicas:
- Se a compota cristaliza é porque tem excesso de açúcar. Leve-a ao lume, junte águas aos poucos e deixe ganhar ponto.
- Se a compota fica líquida é porque o ponto devido não foi alcançado. Leve-a ao lume e deixe que ferva até o ponto ser alcançado. Não se afaste do fogão e vá mexendo sempre.

28 junho, 2018

Peito de peru com macarrão, chouriço, ervilhas, azeitonas e... muito sabor

Com macarrão ou qualquer outra massa; com peru, frango vaca ou porco… esta receita aparece frequentemente à minha mesa.
É económica, rápida, fácil, gostosa e muito reconfortante.
Verdade seja dita que a mim qualquer massa reconforta. E se levar queijo parmesão ralado por cima… hum! hum!
Bem, bem, este macarrão não leva queijo não, portanto, esqueçam o que acabei de escrever.
Eu gostei, gostou o maridão... venha mais macarrão!

Ingredientes:
. peito de peru
. macarrão
. chouriço
. tomate
. ervilhas
. azeitonas
. cebola
. alho
. louro
. vinho branco
. azeite
. sal
. piripiri

Preparação:
Refogue em azeite alho e cebola picadinha e uma folha de louro.
Corte o peito de peru em cubos e o chouriço em pedacinhos. Adicione ao refogado e deixe que a carne ganhe cor.
Acrescente tomate pelado em pedaços. Cozinhe por mais uns minutos e tempere com vinho branco, sal e piripiri.
Deixe cozinhar a carne e sempre que necessário adicione água.
Quando a carne estiver quase cozinhada junte uma mão cheia de ervilhas e mantenha em lume brando.
Entretanto, coza o macarrão em bastante água com sal. Minutos antes de terminar a cozedura escorra e junte, à carne, com um pouco da água.
Rectifique os temperos, junte pedacinhos de azeitonas pretas e deixe que os sabores se misturem. Sirva de imediato.
Experimente!
 (Foto da net)

21 junho, 2018

Cabeça de garoupa assada com tomilho e limão


Aqui em casa gostamos de cabeça de garoupa assada, ou grelhada, ou cozida com legumes.
Porém, assada no forno com tomilho e limão, fica com um sabor delicado e delicioso. É a combinação perfeita!
É uma refeição fácil e rápida de preparar, que suja apenas um tabuleiro. E isso é bom...
Não muito bom é o facto de uma cabeça de garoupa (ou de qualquer outro bom peixe) ser difícil de encontrar e um tudo nada cara.
Desta vez o vinho para acompanhamento foi o "Defesa", da Herdade do Esporão, um dos meus vinhos brancos favoritos. Se não conhece, não sabe o que perde. Compre, refresque e brinde. À vida!
(Atenção: eu aprecio um bom vinho mas bebo pouco, tá?!)
Foi um óptimo almoço de domingo!

Ingredientes:
. cabeça de garoupa
. batatinhas novas
. limão
. tomilho fresco
. azeite
. alhos
. colorau
. sal
. pimenta

Preparação:
Peça na peixaria que cortem ao meio a cabeça de garoupa.
Em casa lave o peixe em água corrente e enxugue em papel de cozinha.
Esfregue com sal, pimenta (opcional) colorau e sumo e raspa de limão. Reserve 20/30 minutos, já no tabuleiro de forno.
Pré-aqueça o forno a 180º.
Entretanto, lave as batatas e leve ao lume em água fria temperada com sal. Quando começar a ferver deixe ao lume apenas metade do tempo da cozedura, retire e escorra.
Espalhe as batatas à volta da cabeça de garoupa e regue tudo com azeite. Espalhe bocados de limão e alhos inteiros no tabuleiro e leve ao forno cerca de 25/30 minutos. Vá regando o peixe com o molho do assado.
Experimente!
(Foto da net.)

14 junho, 2018

A gostosa tarte de maçã reineta (da Luba)


Acredite se quiser, esta tarde da minha amiga Luba é deliciosa!
E nada, mesmo nada complicada.
A maça reineta confere-lhe um saber especial e o creme, bem, o creme...
Faça esta tarte e prepare-se para repetir, repetir, repetir... você e todos os que a provarem.
Esta docinha e molhadinha tarte proporciona conforto psicológico. Sem quaisquer dúvidas!
E como de maçã reineta hoje se fala, o Bolo de maça reineta que partilho é igualmente delicioso!

Ingredientes:
Massa
. 250 g farinha
. 150 g manteiga
. 1 gema
. 1 colh. (sopa) açúcar
Recheio
. 150 g açúcar
. 4 ovos (médios) ou 3 (grandes)
. 2 colh. (sopa) manteiga)
. 5 maçãs reineta
Preparação:
Comece pela massa, juntando todos os ingredientes à manteiga derretida e arrefecida.
Forre a tarte, com uma camada fininha, no fundo e nos lados. Reserve.
A seguir descasque, descaroce  e corte em as maçã sem meias luas fininhas.
Disponha-as em circulo sobre a massa, partindo do rebordo para o centro. Faça várias camadas. Reserve e prepare o creme. 
Junte a manteiga derretida, o açúcar e os ovos inteiros. Misture bem e deite sobre as maçãs.
Leve ao forno pré-aquecido a 160º, durante cerca de 45 minutos.
Deixe arrefecer antes de desenformar.
Sirva morna (hum!!) ou fria.
Experimente!
Deixo-vos a receita (em versão rápida) de um BOLO DE MAÇA REINETA facílimo de preparar e saborosíssimo!
1 - Forre uma forma redonda sem buraco com papel vegetal e barre com manteiga.
2 - Encha a forma com maçãs inteiras descascadas e descaroçadas.
3 - Deite sobre as maçãs a seguinte mistura que, por si só, dá para um bolo simples:
     . 2 cháv. açúcar
     . 2 cháv. farinha
     . 1 cháv. óleo girassol
     . 6 gemas
     . 1 colh. (chá) fermento
     . 1 colh. (chá) canela
     Bata e em seguida envolva as claras batidas
     Adicione leite, se necessário.

Dica: 
A maçã reineta é óptima para cozinhar (em tartes, em bolos, simplesmente assada, ou em compotas); servir crua descascada, em coloridas saladas frescas; em batidos ou sumos.
É rica em Potássio, Ferro, Hidratos de Carbono e Vitamica C.
(foto da net)

07 junho, 2018

Sobrecoxas de frango (com um toque indiano)

O frango pode ser confeccionado de inúmeras maneiras.
Desta vez fugi do caril mas não do açafrão, e logo o pintei de amarelo. Amarelo a que juntei o verde  de pimentos em cubinhos.
Nada mais rápido, nada mais fácil!
Arroz branco solto foi o acompanhamento perfeito.
Gostei. Muito!

Ingredientes:
. sobrecoxas de frango
. pimentos verdes
. cebola
. alho
. açafrão
. rama de funcho
. louro
. vinho branco
. azeite
. sal
. piripiri

Preparação:
Uma hora antes de iniciar a preparação tempere o frango com vinho, louro, sal e piripiri e deixe marinar uma a duas horas.
Depois, prepare um refogado com azeite, cebola, alho e louro.
Quando a cebola estiver loira, junte o açafrão, a rama de funcho e o frango. Cozinhe uns minutos e regue com a marinada.
Coza em lume brando, juntando água ou caldo de galinha sempre que necessário.
Quando o frango estiver quase pronto adicione pimentos cortados em cubinhos e termine a cozedura.
Rectifique os temperos e sirva quentinho.
Acompanhe com arroz branco, puré de batata ou batatas frita.
Experimente!

30 maio, 2018

Lulas guisadas em molho de tomate e mostarda

Não sou grande fã de lulas mas de vez em quando cozinho-as, como-as e acabo por gostar.
A mistura de tomate, com mostarda e vinho branco, curiosamente resultou bem nesta receita. Vou repetir.
Servi o guisado com arroz branco solto e bebemos vinho branco fresco.
Foi bom o almoço de domingo!

Ingredientes:
. lulas frescas cortadas em rodelas
. tomate maduro
. mostarda
. cebolas
. alhos
. louro
. coentros
. azeite
. vinho branco
. sal
. piripiri
. pitada de açúcar

Preparação:
Deite azeite num tacho e refogue cebola, alho e uma folha de louro.
Junte depois bastante tomate aos pedaços, e cozinhe por dez minutos. Retire a folha de louro e triture com a varinha mágica.
Acrescente agora o vinho branco e deixe evaporar totalmente antes de juntar as lulas e um ramo de coentros.
Tempere com sal e piripiri e uma pitada de açúcar para cortar o excesso doce do tomate. Adicione água apenas se for necessário.
Quinze minutos passados, as lulas estarão prontas.
Rectifique os temperos e junte a mostarda. Mexa e desligue o lume. Deixe abafado até servir.
Sirva com arroz branco ou batatas fritas ou cozidas.
Experimente!

24 maio, 2018

Caril de lentilhas verdes com amendoim

Este é um almoço fácil de fazer, de sabor intenso e que surpreende sempre.
Desta vez fiz com lentilhas verdes mas também faço, e gosto, do sabor do caril com lentilhas vermelhas.
Para acompanhar, sugiro um simples mas solto arroz branco.
Por norma trituro ligeiramente o amendoim (gosto de o sentir no caril) mas já fiz com manteiga de amendoim e não ficou mau.

Ingredientes:
. lentilhas verdes
. amendoim sem sal
. pimento vermelho
. pasta de caril picante
. leite de coco
. cebola
. alho
. louro
. azeite
. sal
Preparação:
Deite as lentilhas numa panela, tape com água e tempere com um pouco de sal.
Quando a água tiver sido absorvida, desligue o lume, tape a panela e reserve.
Triture ligeiramente o amendoim no robot e reserve.
De seguida, refogue em azeite cebola e alho picadinho, com uma folhinha de louro.
Junte agora a pasta de caril (ou caril em pó) e o leite de coco e cozinhe uns minutos.
Adicione depois o pimento em cubinhos, as lentilhas escorridas e o amendoim e deixe apurar, durante uns dez minutos. Fique atenta para não pegar. Se necessário acrescente um pouquinho e água.
Por fim rectifique os temperos e servia bem quentinho com arroz soltinho.
Experimente!
(foto da net)

Dicas:
- a pasta de caril é fácil de utilizar, é só juntar umas colheradas e o sabor está todo lá. Nada mais misturo ao meu caril desde que optei pela pasta em vez do pó de caril. Há frascos à vendas em todos os supermercados. Cuidado, a opção “hot”, é muito picante. 
- guarde um pouco do leite de coco e junte à água onde coze o arroz.
- não necessita de demolhar as lentilhas.
- pode sempre preparar o caril com antecedência e aquecê-lo minutos antes de servir. O sabor será ainda mais espectacular!

17 maio, 2018

Bolo de coco com leite condensado... uma festa!

Este bolo é uma festa!
Prova-se e não mais se esquece.
E é tão fácil de fazer…
Prepare-se pois quem o provar vai querer levar bolo e receita.
Este bolo não se come, devora-se!

Ingredientes:
Bolo
. 4 ovos
. 200 g açúcar
. 200 g farinha
. 2 dl leite
. 2 colh. (sopa) coco ralado
. 2 colh. (sopa) manteiga
. 1 colh. (sopa) fermento
. pitada de sal
Cobertura
. l lata de leite condensado
. 200 ml de leite de coco
. lascas de coco
Preparação:
Deite numa tigela o açúcar, a manteiga e o sal e bata até formar um creme.
Depois, junte os ovos, batendo bem entre cada um.
Acrescente o coco ralado e misture durante uns segundos.
A seguir adicione a farinha, o fermento e o leite. Emvolva, apenas.
Deite em forma untada e enfarinhada e leve ao forno previamente aquecido a 180º, durante cerca de 40 minutos.

Cobertura:
Misture o leite condensado com o leite de coco. Deite sobre o bolo quente e leve ao frio.
No momento de servir cubra o bolo com lascas de coco.
Experimente!
(foto da net)

10 maio, 2018

Os tradicionais pastéis de bacalhau




São tão bons estes pequenos pastéis que só apetece comer um a seguir ao outro.
Aqui em casa desaparecem da travessa num instante.
Eu sirvo-os sozinhos para petiscar, ou com arroz de tomate, de grelos, ou feijão para uma refeição ligeira.
Sorrateiramente retiro dois ou três pastéis para comer no dia seguinte, ao pequeno almoço. Meto-os dentro do pão e acompanho o manjar com leite quente com cevada (não bebo café). Acreditem que é delicioso!
Também congelo pastéis. Explico como o faço, mais abaixo.
A minha mãe, com quem aprendi a fazer os irresistíveis pastelinhos, não pesava o bacalhau nem as batatas e juntava 2, 3, 4 ovos conforme a consistência da mistura. E metia o bacalhau num saco de pano que apertava e apertava até o peixe ficar bem desfiado. A sério!

Ingredientes:
. 400 g bacalhau cozido, sem espinhas nem pele
. 500 g batatas cozidas
. 3 ovos
. 1 cebola (média)
. 1 dente de alho
. 1 ramo de salsa
. sal
. pimenta, ou piripiri
. óleo para fritar

Preparação:
Desfie o bacalhau e reduza as batatas a puré.
Piquei a cebola e o alho.
Junte tudo numa tigela e acrescente os ovos e a salsa picada.
Misture muito bem e tempere a gosto com sal e pimenta.
Molde pastéis com a ajuda de duas colheres de sopa e frite em óleo bem quente.
Deixe-os secar em papel absorvente.
Experimente!

Notas:
- Podem juntar-se as claras batidas em castelo. Já o fiz e não notei grande diferença nos pastéis.
- Faço sempre pastéis a mais, para congelar. Depois de moldados coloco-os sobre tampas de caixas de plástico, separados uns dos outros, e levo-os ao congelador. Depois de congelados transfiro-os para sacos, que fecho e guardo no congelador para fritar mais tarde.
Fritam-se congelados, NUNCA descongelados.

03 maio, 2018

O meu fricassé de tirinhas de peru

Um simples prato de peru torna-se sofisticado quando combinado com um molho rico e suave, de seu nome FRICASSÉ.
Eu, que o cozinhei e provei, juro que é verdade.
O maridão não jurou... mas repetiu.
Está decidido, um dia destes volto ao fricassé.
Feito!

Ingredientes:
. peito de peru
. cebolas
. louro
. ovos (apenas gemas)
. sumo de limão
. vinho branco
. manteiga
. farinha Maizena
. sal
. pimenta
. salsa

Preparação:
Corte a carne em tirinhas, com uma faca bem afiada. Reserve.
Descasque e pique cebola e leve a alourar em manteiga.
Junte a carne e cozinhe por uns minutos. Regue com vinho branco e tempere com sal e pimenta. Adicione água, se necessário.
Cozinhe em lume brando até a carne estar macia, mais ou menos 20 minutos. Nessa altura retire a carne, mas mantenha quente.
Dissolva uma colher de farinha no molho que ficou no tacho e mexa até engrossar um pouco.
À parte desfaça gemas com sumo de limão e junte-as ao molho, mexendo sempre para não talharem.
Junte a carne ao molho e polvilhe com salsa picadinha.
Sirva bem quente com arroz branco.
Experimente!
Notas:
A carne de peru é rica em proteínas, ferro, zinco, selénio e vitaminas.
Com baixo teor de gordura, o peru é utilizado em muitas receitas da culinária portuguesa.
Se quiser que a sua carne de peru tenha um sabor superior, coloque-a de molho em água do Luso com rodelas de limão  algumas horas antes de a cozinhar.
Não consuma peru só no NATAL!

26 abril, 2018

O simples mas reconfortante bacalhau com natas

É muito simples fazer bacalhau com natas.
E reconfortante, como qualquer outro prato de bacalhau.
Aqui em casa comemos o peixinho sempre com gosto.
Desta vez acompanhei com uma “simples” salada de alface e cenoura ralada.
O vinho, reconfortante, foi branco, fresco.

Ingredientes:
. bacalhau
. batatas
. molho bechamel
. natas
. cebolas
. alhos
. louro
. noz moscada
. azeite
. sal
. pimenta

Preparação:
Leve ao lume o bacalhau em água fria e assim que levantar fervura desligue o fogão mas mantenha o bacalhau na panela. Limpe-o de peles e espinhas e separe em lascas. (Reserve um pouco da água da cozedura para a preparação do bechamel).
Descasque batatas. Corte-as em pequenos cubos e frite em óleo quente, sem deixar ganhar cor. Coloque-as em papel absorvente e salpique com sal.
Descasque e corte cebolas em meias luas finas. Pique alhos. Refogue em azeite, com uma folha de louro.
Adicione o bacalhau e deixe refogar mais um pouco. Junte as batatas e envolva. Tempere com sal (se necessário) e pimenta.
Junte agora 2/3 do molho bechamel ao preparado, misture bem e deite num tabuleiro.
Cubra com o restante, polvilhe com queijo ralado e leve ao forno para alourar.
Experimente!

Nota:
Utilizei um pacote de bechamel, ao qual juntei um pacote de natas e noz moscada.
Para quem desejar fazer o o molho, deixo a receita.

Molho bechamel
. 50 g manteiga
. 50 g farinha
. 500 ml leite quente (pode substituir um pouco de leite por água da cozedura do bacalhau)
. sal
. pimenta
. noz-moscada
Num tachinho derreta a manteiga sem deixar queimar.
Junte a farinha e mexa com um batedor de varas.
Acrescente os líquidos aos poucos e continue a mexer.
Tempere com sal, pimenta e noz-moscada.
Deixe cozinhar até engrossar, a seu gosto. 
Experimente!

19 abril, 2018

Polvo abafado, delicioso!

Aprendi a gostar de polvo há poucos anos.
Normalmente cozo-o na panela de pressão, mas desta vez cozi-o num tacho normal e ficou igualmente macio.
Dizem os entendidos que o polvo deve ser congelado antes de cozinhado. Eu compro-o fresco e congelo-o depois em casa. Descongelo-o antes da preparação do prato.
Claro que pode sempre comprá-lo congelado. A escolha é sua.
Abafe o polvo!

Ingredientes:
. polvo inteiro
. batatas
. cebolas
. alhos
. tomate pelado aos pedaços
. vinho branco
. azeite
. louro
. sal
. piripiri

Preparação:
Corte o polvo em pedaços e reserve.
Descasque batatas, corte-as em rodelas e reserve.
Leve ao lume um tacho com cebolas às rodelas, alho picado, louro e azeite e aloure ligeiramente.
Junte o tomate e o polvo, tempere com sal e piripiri e borrife com vinho branco.
Tape o tacho e deixe cozinhar em lume brando cerca de 40 minutos.
A meio do tempo acrescente as batatas e deixe que cozinhem juntamente com o polvo.
Rectifique os temperos, deligue o lume e sirva salpicado com salsa picada ou cebolinho (o único verde que tinha cá em casa…).
Experimente!
Notas:
- Cozer polvo na panela de pressão é fácil e, claro, mais rápido. Necessita apenas do polvo, de água e de uma cebola com casca.
O polvo deve ser descongelado e colocado na panela quando a água já ferve. Se o meter e tirar 2 ou 3 vezes na água a ferver antes de o abafar, ele fica ainda mais macio.
Sal, NUNCA!

- Os polvos são moluscos marinhos da classe Cephalopoda, da ordem Octopoda (oito pés), possuindo oito braços fortes e com ventosas dispostos à volta da boca. Como o resto dos cefalópodes, o polvo tem um corpo mole, sem esqueleto interno (ao contrário das lulas) nem externo, como o argonauta. Como meios de defesa, o polvo possui a capacidade de largar tinta, de mudar a sua cor (camuflagem, através dos cromatóforos), e autonomia de seus braços.
Todos os polvos são predadores e alimentam-se de peixes, crustáceos e outros invertebrados, que caçam com os braços e matam com o bico quitinoso. 
Foto e informação tiradas da net.

12 abril, 2018

Compota de maçã e laranja

De repente apeteceu-me encher a casa de aromas de fruta a ferver.
À mão tinha maçãs, laranja, kiwis e bananas. Descasquei maçãs e laranjas. E juntei-lhes açúcar.
Fruta e açúcar são os ingredientes principais de qualquer compota.
Depois... foi uma diversão!

Ingredientes:
. 1kg maçãs
. 750 g açúcar
. 1 laranja
. 1 pau de canela
. 2 colh. (sopa) água

Preparação:
Descasque, retire os caroços e corte em pedaços as maçãs e a laranja.
Deite tudo num tacho e adicione o açúcar, a água e o pau de canela.
Leve a lume brando e mexa até o açúcar se dissolver por completo.
Aumente a temperatura e ferva a mistura, sem mexer, durante 10 minutos.
Retire do lume e reduza a fruta a puré.
Leve de novo a lume brando até atingir o ponto desejado. (Verifique com o teste do prato frio.)
Despeje imediatamente a compota em frascos esterilizados e aquecidos, até 3 mm do cimo. Vede os frascos e cole etiquetas com o nome do conteúdo e a data.
Experimente!
Dica:
Para verificar se a compota está no ponto use um termómetro de açúcar ou faça o teste do prato frio. 
Deite uma colher de compota num prato frio e deixe esfriar.
Se a compota formar uma película e rugas quando lhe tocar com um dedo, está no ponto.
Se não, leve ao lume por mais alguns minutos.

05 abril, 2018

Pernas de frango assadas no forno com limão e hortelã


Fácil, delicioso, perfumado!
Este prato é tudo isto.
E rápido? Um abrir e fechar de olhos!
E trabalhoso? Nada, zero!
E… e…
E mais não digo. Faça e comprove!

Ingredientes:
. pernas de frango
. cebolas
. alho
. azeite
. rodelas de limão
. chouriço de carne
. batatinhas novas
. colorau
. louro
. sal
. piripiri

Preparação:
Aqueça o forno a 180º.
Espalhe rodelas de cebola no fundo de uma assadeira.
Por cima disponha as pernas de frango, previamente untadas com uma mistura de sumo de limão, colorau, alhos esmagados, louro, sal e piripiri.
Coloque sobre o frango rodelas de limão e folhas de hortelã, regue com azeite e leve ao forno quente. Deixe assar cerca de 50 minutos.
Asse batatas (temperadas com azeite, sal e colorau) em outro tabuleiro ou junte-as ao frango e asse tudo junto.
Experimente!
(foto da net)

29 março, 2018

A aromática tarte de limão

Esta bonita e aromática tarte de limão é facílima de fazer.
E tão gostosa que ao comer uma fatia, já se pensa em outra.
Pode fazer-se com qualquer outro citrino, que fica igualmente deliciosa.
Eu gosto da minha tarte de limão, espero que também goste!

Ingredientes:
. 1 embalagem de massa quebrada
. 2 limões
. 200g açúcar
. 4 ovos + 2 gemas
. 200g manteiga
. 2 colh. (sopa) de farinha Maizena

Preparação:
Unte uma forma de tarte com manteiga e forre-a com a massa quebrada. Pique o fundo com um garfo e reserve.
Aqueça o forno a 180º.
Corte os limões (retire os caroços) aos cubinhos e deite-os numa misturadora.
Junte metade do açúcar aos limões e triture 2/3 minutos. Adicione o restante açúcar e triture mais uns minutos.
Adicione agora os ovos inteiros e as gemas, a manteiga e a Maizena. Misture e deite na forma.
(Não triture demasiado o recheio.)
Leve a tarte ao forno e coza durante 20 minutos. Reduza depois para 160º e deixe cozer durante mais 30 minutos ou até sentir o recheio firme mas flexível.
Sirva à temperatura ambiente polvilhada com açúcar em pó.
Experimente!

Massa quebrada:
Encontra-se à venda massa quebrada de tanta qualidade que não se justifica fazê-la em casa. De qualquer modo deixo uma receita, para o caso de lhe apetecer fazer a tarte e não ter em casa massa pronta a usar. 
Receita:
Disponha 250 g. de farinha em monte sobre uma mesa ou pedra de mármore. Deite no centro 150g manteiga, 1 ovo, 1 colh. (chá) sal ou açúcar. Trabalhe com as mãos até obter uma massa homogénea. 
Faça uma bola, aperte-a para espalmar e envolva com película aderente. Deixe repousar  no frigorífico durante, pelo menos, 30 minutos.
Depois, espalhe farinha numa superfície plana, coloque sobre ela a massa (sem a película) e estenda-a com um rolo.
Forme um circulo suficientemente grande para cobrir toda a forma.
(O processo de cozedura da massa varia conforme os recheios. Siga o indicado nas receitas.)